quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Situação da Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho em Lisboa

Na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, situada em Lisboa perto do Marquês de Pombal, só estão neste momento 8 funcionários a trabalhar, sendo que se algum falta pelo menos um serviço como a papelaria ou o bar, encerra.

A Direcção da escola recentemente para dar resposta a este problema fez entrevistas a 3 candidatos para funcionários, o que é certo é que o governo não deu permissão para a escola contratar estes candidatos, pois hoje em cada 40 funcionários que saiam apenas é permitido contratar um.

Esta falta de funcionários tem consequências enormes, na segurança dentro da escola, na limpeza das salas e no funcionamento normal dos serviços que são fundamentais aos estudantes.

Como se não bastasse a escola encontra-se num estado decadente e os estudantes, com as suas próprias mãos e com o dinheiro da própria AE, pagam aquecedores, pintam paredes, pedem apoios para terem caixotes do lixo e arranjaram o refeitório.

Sendo esta uma responsabilidade do governo, onde está a requalificação das escolas, onde está o ensino de qualidade no meio disto tudo?? Com os cortes orçamentais para este ano, este tipo de situações irá agravar-se em muitas escolas.


Os estudantes da Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho não baixam os braços, pois já estão programadas várias formas de luta como um abaixo-assinado, concentrações e o encerramento da escola.

A DNEESB apela a que os estudantes não se resignem e lutem por melhores condições materiais e humanas nas suas escolas.


Por uma Escola Pública Gratuita e de Qualidade a luta continua!!!!

5 comentários:

Rui disse...

Ola olá, sei que não é um comentário ao texto acima escrito mas sim para fazer uma espécie de "queixa"!

Então, desde o início do ano lectivo que todos os alunos esperavam para a candidaturas das listas para a associação de estudantes... pois até agora não existem quaisquer informações acerca da candidatura. apenas é sabido que a associação tem uma divida de 1000€ contraida pela lista passada. . .
Ora isto passa-se na escola secundária da Batalha...
Além disso, eu como aluno do 12º ano de ciencias e tecnologias, acho INADMICIVEL o porquê de este ano, para Área de Projecto, não podemos imprimir gratuitamente qualquer tipo de documento necessário para a mesma disciplina. Ora para esta disciplina são necessários Diários de Bordo, relatórios individuais, portefolios de cada grupo! Será que vamos ter de sermos nós, alunos, a pagar para tirar-mos positiva na disciplina ????

Obrigado .
Aluno da ESB.

Eu sou o Zé disse...

São motivos concretos...são razões mais que suficientes para levar os estudantes para a rua. Tanto na Mª Amália, como na secundária da Batalha, como em todas as escolas em que os estudantes passam frio, em que os preços do bar aumentam, em que desabam tectos e paredes...e em todas as escolas onde os estudantes são "vítimas" das más políticas educativas do Ministério...a única solução é e sempre será a LUTA DOS ESTUDANTES!!!
Divulguem a luta de dia 24 de Fevereiro em todas as vossas escolas, porque neste dia, nem os surdos vão poder não ouvir o barulho que iremos fazer; e ninguém vai ser indiferente ao nosso protesto.
Dia 24 de Fevereiro - estudantes na rua a Lutar pela constituição de Abril e pelos seus inalienáveis direitos!

Anónimo disse...

Não havendo Associações de estudantes na Escola Secundária da Batalha vai ser complicado fazer greve, mas tenho de conseguir, estou cansado deste ensino, desta crise, que não temos culpa....

Obrigado
Abraço

In love disse...

É o seguinte: eu li o q dizia no cartaz (no "exigimos") e só tive uma reação: LOOOOOOL, voces acham que num momento como o que o nosso país está a passar que vão fazer uma impossibilidade dessas (escola publica gratuita)?! XD Uma ajudinha, leiam jornais, porque parece que nao fazem a minima ideia do que se passa a vossa volta ;).

Luís Filipe Pereira Encarnação disse...

Ola caro colega.
A mim o que parece impossível é isto acontecer em centenas de escolas do país e já agora não o Primeiro Ministro que diz que anda a fazer investimentos na educação e que diz que esta também é uma forma de superar a crise?
investimento no que? em quê?
até nas escolas que sofreram obras chove lá dentro.
Sim exigimos um direito nosso que está consagrado na constituição que é a escola pública gratuita e de qualidade! E sabes como é que se conquistou este direito? eu respondo através da luta de gerações e gerações e é para a nossa luta que é a tua luta que te convidamos a participar no dia 24 de Março!
abraço